terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Uma carta paralela

Te olho nos olhos e você desvia, finge que não é nada, eu convivi muitas noites com você, e sei o que é nada e o que é tudo, eu sei quando você esta triste, afobado, cansado, você me cansa, você me irrita e eu te amo, te amo por isso, te amo tanto que não quero e não preciso te perder. Mais a frieza das noites quentes me faz encaminhar a outro caminho, caminhos que você sabe que eu caminhei alguns dias, mais você me ama, e eu te amo, e foi por isso que eu fiz passos tortos...

E é por isso que hoje te traio e me traio, traio em pensamentos, em loucuras, em desejos e gestos, procuro em outros, o que eu queria ter de você, e você, sem perceber recusa, recua, e só invade aquilo que te agrada, que lhe convém, nada sabe de alguém que sabe amar, deve ser isso, deve ser por isso que eu corro em outros corpos, que sinto outros calores, calores que você poderia causar.

Saio, com pensamentos firmes de jogar tudo pro alto, de te jogar de lado, mais não dá, eu percebo que te amo e amo toda essa confusão que você é, e volto, volto com dor, com dó, com fogo, com alivio de retornar a você, ingénuo, perfeito, errante, safado, perdido. Você é aquele meu eterno, aquele que eu sei que vai fazer massagem nas minhas costas 3h da manha, aquele idiota que me ama, e que chora por mim, eu procuro apenas aventura, pq eu sei que amor verdadeiro, é o que eu sinto somente por você.

J*

Um comentário:

Hosana Lemos disse...

amor intenso o seu! *-*
daqueles que ardem mas também são meigos, daqueles que chegam e se instalam lá dentro!
^^


beijos