quinta-feira, 11 de março de 2010

noites comuns.

As mãos deslizavam todo corpo, em um silêncio longo e sincero, os barulhos altos ao redor sumirão, como um tiro disparado no meio da noite, o vento soprou o perfume dela, e ele lembrou daquelas sensações e horas jogadas foras, conversando sobre mil e uma coisa, ela arruma o vestido preto, morde os lábios e penetra seu olhar para dentro daqueles olhos negros e firme:
- O que houve ?
Ele com aquele jeito seguro e sedutor, levanta a cabeça e corresponde o olhar dela com um sorriso:
- Estava pensando...não tem como não se sentir atraído por você...
- Isso é um problema ?
Ele abaixa a cabeça com um gesto de negação, com o sorriso agora, só no canto da boca, e levanta um olhar de canto.
- Nenhum...
Ela se aproxima do pescoço dele, respira fundo para gravar o perfume dele na memoria, que há tempos ela não lembrava, em seguida sussurra ao pé do ouvido - Que bom...
E então um beijo continuou a conversa ...

2 comentários:

Bombom disse...

nossa me apaixoonei pelo texto,
ja vivi uma cena quase assim :X
hehe ,
liindo seu blog !
vou voltar sempree agora :)

beijao !

Mayara Stefanie disse...

Isso me lembra alguem familiar :x kkk

mãe seus textos estão ficando cada vez melhor! *-*