segunda-feira, 20 de abril de 2009

entrelinhas

(...) Se ela tivesse confiado assim no taco dela. E sorrido mais. Se ele tivesse me amado sem amar. Ou como amam as pessoas que conseguem se relacionar. "E eu lá, sendo adorada por ele, justamente porque não o adoro mais". Ô vidinha filha da puta.
No final do dia, a frase que eu temia. “Quer fazer alguma coisa amanhã?”. Eu sabia. Toda mulher feliz e equilibrada deixa saudades. Mas eu não queria. Eu só queria amar alguém, com toda a tristeza e desequilíbrio que vem junto com isso, e continuar deixando saudades.
Quando dizem que namoro ou casamento ou qualquer relacionamento mais sério não pode dar certo, eu discordo. O que definitivamente não dá certo, ao menos para mim, é se apaixonar. Agora, que graça tem fazer qualquer coisa da vida sem estar apaixonada? Ô vidinha filha da puta.

6 comentários:

cami disse...

defitivamente se apaixonar é a coisa mais dificil e quando acontece acaba se tornando meio que dolorido no final.

adorei seus posts, visitarei sempre! :*

E.Suruba disse...

paixão é fogo!
ô vidinha fila da puta
rsrsrsrsrs
gostei do blog!

Varda disse...

"Agora, que graça tem fazer qualquer coisa da vida sem estar apaixonada?"
concordo plenamente!

byfranzao disse...

Não sei o q é isso, ando quebrando primeiro os muros....rs

bjos xuxu

Daniela Filipini disse...

Porque as coisas dão certo na hora errada...

Thiago Assis disse...

teve sorte, postei a parte 2 - final do conto - hoje, imagina quem leu logo que postei? =]

www.thiagogaru.blogspot.com