quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

The Ghost...

Dar uma segunda chance, é com certeza, sem sombras de duvidas, complicado, você pensa muito, e isso pode te fazer mal, te deixando mais confusa ainda - pelo menos pra mim - a metade de mim queria dar todas as chances, mais o cheiro do medo me cercava e me fazia lembrar de tudo que passei, e isso me deixava insegura, mesmo querendo ter certeza de que tudo mudaria, eu acostumei tanto com a ausencia, que esta sendo muito complicado acostumar com a presença de volta, de novo...
Estava preparada para responder qualquer pergunta, e jogar na cara qualquer coisa que eu pudesse jogar, para mostrar o quanto eu me magoei com tudo isso, e o tanto de tempo que eu levei para ignorar situações...mais preferi ficar queta, e só escutar.
Mais mesmo assim, mesmo confusa, já fui durmir e acordei pensando no que eu não queria, fiquei automaticamente feliz quando abri meus olhos, e não via a hora de fazer todas as minhas obrigações, para minha agnoria idiota, a horas demorava muito para passar, o sol castigava, e o cansaço vinha espontaneo, mais meu sorriso estava ali, firme e forte, pouco me preocupando com os resultados ou quem estaria me esperando, eu precisava terminar aquilo logo, precisava me acalmar. Depois de um longo tempo eu fui caminhando ao local que já estava na minha cabeça desdas 8h da manha - eu iria ver aquele fantasma, aquele mesmo que eu xinguei, que sofri, aquele que sentia falta, que penei para esquecer - fui rindo sozinha, sentido que podia respirar aliviada, meu coração foi se acalmando, eu pude andar sem tropeçar nos meus passos, fui imaginando o que faria, como chegaria, eu precisava daquele abraço, mais como pedir um abraço para aquele fantasma, saco ! eu não deveria estar fazendo isso ! Foi tudo uma grande idiotice, mais essa idiotice me fazia bem.
E antes de colocar o pé na loja eu já avistei de longe - gelei - não entendia o que se passava comigo, finquei os dentes nos meus labios e tentei segurar o sorriso até chegar até ele, sorte que tinha uma musica no fundo, sai cantando de cabeça baixa, vendo as roupas, levantei a cabeça e já dei de cara com ele - e o sorriso demosntrando super satisfação por ter me visto tambem - me acalmei e pensei " pronto, estou aqui, quebrando meu orgulho " , eu o abraçei, fechei os olhos, respirei fundo, respirei com leveza, nao acreditando que eu tinha revisto ele sem medos, e dentro de um abraço longo e gordo resolvemos quebrar o silêncio
- Que bom te ver, que bom que voce veio
- pois é, eu disse que viria !
- que saudade de você meo...aquele dia no cinema você me tratou super seco !
- eu fiquei assustada ! ( essas foram as unicas palavras que conseguiu sair enquanto eu estava abraçada, sem olhar para ele )
Soltou-me, segurou minhas mãos, e perguntou se estava tudo bem, junto com o sorriso que não desgrudava, me controlei, para não gaguejar, porque afinal, eu tinha que parecer serena, calma, fingindo que não estava ligando muito por ter voltado a amizade - sempre menti muito mal - .
- voltei do medico agora, as coisas não andam tão bens assim
- aaaah gooor ( apelido carinhoso que ele sempre me chamou )
Me abraçou por cima, fazendo com que eu abraçasse só a barriga dele ( eu adorava abraçar ele assim ) senti um abraço forte, longo, que não queria soltar, como se estivesse dizendo, " calma, agente se reecontrou ninha amiga, não vou deixar nada aconteceu agora, vai ficar tudo bem " - essa era a impressão que passava - e eu me senti muito bem assim .
Trocamos algumas outras palavras, nada de interessante, eu ficava olhando para ele, nao acreditando...porem, ele precisava voltar a trabalhar, e eu ir embora para casa, pois certamente minha mãe estaria dando a louca em casa, pois eu desliguei o celular. Abraçei de novo pela barriga, de olhos bem fechados, para ter a certeza que não estava fazendo nada de errado em reve-lo, soltamos uns comentarios de sexta feira ( sim, agente vai sair para beber alguma coisa, e é logico que a namorada dele vai, e o amigo dele ) e confesso que estou adorando a ideia. Começei a caminhar para a porta da loja, virei espontaneamente para ele que estava olhando, estendi a mão como se estivesse parabenizando :
- dia 07 de janeiro...
- 2 anos é goor ?
- 2 anos.
- caramba ! - em um tom de satisfeito - agente conversa a noite, juro.
balancei a cabeça, e assenei com um sorriso e um tchau, ele fez o mesmo.
Sai de lá com um alivio, super leve, não sei até agora se o que eu fiz foi o certo, mais me fez sentir bem, saber que ele sentia falta de minha amizade qnt eu sentia a dele, me fez super bem.. Não sei se vai ser como antes, mais só de receber o abraço na a barriga me satisfaz...

É muuito bom saber que tenho a amizade dele de volta....


Obrigada a todos que acompanham :*
e qnd tiver tempo, respondo todos os comentarios, posto os selinhos que ganhei e os repassos ;)

7 comentários:

Dani disse...

Um desabafo (?)
Muito sincero tudo isso que você escreveu. (:

Mah disse...

"Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está ai, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada "impulso vital"."

Baby, saiba que eu te amo e apoio totalmente a sua felicidade. Principalmente se ela for saudavel.
P.S.: Se ele fizer algo contigo, quero o nariz dele.

Vanessa. disse...

Verdadeiramente sinceras as tuas palavrinhas. Gostei muito!

R.Vinicius disse...

Eu costumo dizer assim pra mim mesmo (pois sou um pouco timido) - Se for pra quebrar a cara que quebre, se for pra errar que erre, se for pra acertar que acerte; vou fazer e pronto. E lá me vou fazer algo que na hora pode parecer a coisa mais errada do mundo, mas depois descubro que foi a melhor coisa que eu poderia ter feito ou acontece o contrário, faço julgando ser a melhor coisa e a vida me mostra que era a pior coisa a ser feita. A vida é isso, atitudes, escolhas e só vamos saber o que elas serão depois de tê-las feito. Na minha opinião você fez certo; minha segunda opinião (como alguém que infelizmente não te conhece pessoalmente, não é um amigo "real" no sentido fisico da palavra) acho que você sofre por antecipação, por conjentura, pensa muito no que pode ou não acontecer, no que é certo ou errado e às vezes se sente muito mal por isso. Minha terceira opinião: Siga sua intuição, dizem que a intuição é a voz que temos com Deus e que a mulher é a que mais a ouve. Última opinião: Faça, não tema, todos temos chances de errar e acertar; faça com essa sinceridade que é você e tenho certeza que vai chorar, vai sorrir, vai se machucar, mas vai antes de tudo viver com o brilho de quem sabe que a vida é o modo como você sente o passar dela.

Não suma, estarei aguardando seu próximo post, Abraço,

R.Vinicius

Vandi disse...

Oii
Ah moça você escreve muito bem vio!
Nunca dá para ter certeza se fizemos certo ou errado mais o que importa que você ouviu o seu coração!

;* bjoos

Varda disse...

Segundas chances sempre são difíceis..mais o legal é que podemos ver a outra pessoa faz de tudo para reconquistar o que perdeu!
o/

Dani disse...

Que bom que meus textos faazem você pensar :P